sexta-feira, novembro 23, 2007

Sueli, o fantasma

Sueli era um fantasma. Durante boa parte de sua vida, apesar de viva, só fez assombrar as pessoas à sua volta, presente nas frestas de seus cotidianos, absorvendo suas existências, as filtrando e provocando pequenos assombros furtivos com a distorção daquilo que apreendia.
Um dia, Sueli, a fantasma, acabou indo embora porque os novos moradores da casa mal-assombrada estavam mais concentrados em samba e churrasco e assustaram mais Sueli do que ela conseguiria assustá-los. E também porque quando eles olhavam para onde Sueli, o fantasma, podia estar, simplesmente só viam através dela.

3 comentários:

Homeless disse...

Nossa, acho que tem uma coisa russa nessa estória... Gogol, Almas mortas e a burocracia sinistra de São Petesburgo... E o Boris Tuctchenko dizendo que o mundo é dos Nets. Eu, hein!

Lívia Araújo disse...

Homeless,
como é "Festa Móvel" em russo? rsss

homeless disse...

Acho que a gente vai ter que perguntar pra aquele homem de preto lá do Boris, aquele da Festa dos Nets. Mas aí ele vai responder que o nosso download está incompleto. rss...