terça-feira, novembro 18, 2008

Fungos e veneno

- Sonhei que estava com feridas grotescas nas costas, credo. No entanto, fui tranqüilizada por uma amiga, parenta, sei lá, que dizia que, vejam só, aquela feridança toda eram somente fungos, e me "descascava" daquela podridão, depois do quê minhas costas estavam novas em folha, a pele lisinha e nenhuma dor ou ardência.
- Na inauguração do xópis novo na zona sul de Porto Alegre (donde a Barra da Tijuca, que possui estabelecimento do mesmo grupo, torna-se "irmã" da capital gaúcha, dã), a fartura dos discursos aludiu à mesma coisa que todo e qualquer discurso nos últimos quinze dias: Barack Obama. "Yes, we can" fazer um xópis em quinze meses; "yes, we can" zerar o déficit estadual; "yes, we can" fazer compras de Natal enquanto o mundo derrete. A vida é bela. Enquanto a esvoaçante Fernanda Lima escapava ao roteiro mesmo com o tele-prompter na frente dela, um senhor logo atrás de mim, comentava sobre a roupa da beldade: "bem riponga". Só vou nesse xópis mesmo por causa da FNAC.
- Ouvi falar que no terreno do lado, em frente à Hípica, vão fazer um obelisco ao capitalismo. Pra subir e sentar em cima.

12 comentários:

Joelma disse...

"Sob o comando do chef Lúcio, o cardápio teve aperitivos, como o salmão com caviar mujol e o foie gras, servidos com toasts e focaccias crocantes. Os pratos quentes foram oferecidos em miniporções volantes de penne rigatte ao creme de porcini e picadinho de filé mignon, com musseline de banana da terra e farofa crocante. Só de canapés, foram 40 mil unidades.(...)Tudo regado a Chandon Brut e Rosé."

Da reportagem econômica (sic!) de ZH. YES! nós comemos (e bebemos!) isso tudo ontem, Levinha. Santo capitalismo, Batman.

Lívia Araújo disse...

Joelma, não espanlha que eu comi 40 mil canapés, porque eu tou de regime.

Vica disse...

Hahahahaha, eu só vou lá por dois motivos: a FNAC e a Santa Lolla, uma loja de calçados divinos.

Joelma disse...

Vica, eu iria lá pela Maria Filó, mas depois que a moça-vendedora nos disse bem assim: "essa é uma loja CARIOCA. É, É UMA LOJA CARIOCA. essa semana teremos uma consultora de moda aqui. ela vai estar DANDO CONSULTA GRATUÍTA".
depois de tudo isso, junto, eu juro que não sei se quero mais ir. opx: não xei xe quero extar indo.

Lilly disse...

Eu SOU CARIOCA, eu amo a MARIA FILÓ e acho ótimo vocês terem uma LOJA CARIOCA agora. E essa vendendora deve ter feito um estágio para ESTAR DANDO consultoria... CARIOCA não falava com gerúndios... pelo menos na minha época... :))

Lívia Araújo disse...

Lilly, eu achei a loja linda, mas foi muito engraçado a vendedora enfatizando "olha, ela veio do Rio de Janeiro", várias vezes durante a conversa, como se o Rio de Janeiro fosse a única coisa hype do universo ou "vocês aqui na província não sabem o que é muóda Rio". A gente é província mesmo, mas ficou esquisito.
(e 'a gente' numas, pq eu sou paulista e a Jojô é alagoana).
Beijas.

Joelma disse...

mas mas mas, voltando ao sonho, a minha interpretação: as feridas-fungos eram uma punição por tu teres comido 40 mil canapés com chandon brut.

(sim, eu estou só especulando. hohoho)

pra todo o resto, eu tô é me cagando. e viva o obelisco! ops, obelixco.

Isabel Alix disse...

HAHAHAHAHAHahahahahahaHAHAHAHAhahahahahaHAHAHAHAAAAA pra esse shops cents e pra esse obelixco!

Ô Lilly, você bem que podia nos presentear com a simpatia carioca. Porque mUÓÓda carioca a gente conhece. Simpatia carioca é que anda difícil, sabe.

Lívia Araújo disse...

Bé, a Lilly nos presenteia com a simpatia carioca textualmente por aqui, cujo sotaque fluído a gente entrevê. ;-)
Isso que eu sou paulista e deveria implicar, mas... he.

Lilly disse...

Olha, vou abrir a minha alma aqui com vocês. Carioca é marrento e bairrista. Eu que moro em SP há 13 anos, bem sei como é. Tornei-me um ser sem pátria; em SP sou A carioca. E no Rio, sou aquela carioca que não mora mais no Rio. Que fala umas palavras esquisitas de vez em quando. Mas não resisti em fazer uma brincadeirinha... Ah! tem essa: carioca é folgado e debochado também... rsrs.... ;)

Lilly disse...

Tava lá em casa na 4a.feira à noite, olhando pra fora da janela da cozinha e não sei porque me lembrei desse seu sonho. Acho que é porque eu não me conformo de não estar me lembrando dos meus. Aí me veio na cabeça o seguinte: "Chagrins d'amour".

Lívia Araújo disse...

Lilly, eu diria que os fungos purulentos do chagrin foram arrancados das minhas costas habilmente e sem causar dor.