quinta-feira, novembro 20, 2008

Flânerie

Falta um mês, exatamente. Horas de vôo. Anos de lembranças. Frio na barriga.
Não é um rito de passagem, se é que ritos de passagem podem durar míseros quinze dias (podem, na verdade). É que, dez anos depois, tudo é outro: outro eu, outros eles, novos eles, paisagens mutantes, tudo isso no tubo de ensaio da existência. Certas coisas, porém, não mudam mesmo com a pós-modernidade. Por isso, talvez, a amizade seja um dos maiores bens que (não) temos.
Mas divago. 'Bora dormir.

2 comentários:

Matias disse...

ACHO que sei do que você fala. E se eu estiver certo, vai a minha invejinha: tomara que a azeitona da comida do avião tenha caroço.

Vica disse...

Falta um mês pro recesso. Tô contando cada dia.