terça-feira, janeiro 15, 2008

Cossa saràlo 'sta Mèrica?



MIGNA terra tê parmeras,
Che ganta inzima o sabiá.
As aves che stó aqui,
Tembê tuttos sabi gorgeá.

A abobora celestia tambê,
Che tê lá na mia terra,
Tê moltos millió di strella
Che non tê na Ingraterra.

Os rios lá sô maise grandi
Dus rios di tuttas naçó;
I os matto si perde di vista,
Nu meio da imensidó.

Na migna terra tê parmeras
Dove ganta a galigna dangola;
Na migna terra tê o Vap'relli,
Chi só anda di gartolla.
Juó Bananère, Migna Terra. In: La Divina Increnca. São Paulo: 1924, Irmãos Marrano Editores.

2 comentários:

RoMartinucci disse...

qdo comecei a ler pensei que fosse algum dialeto italiano...

Lívia Araújo disse...

Pior que não, Rô... era mesmo o dialeto ítalo-paulistano do início do século XX.