quarta-feira, abril 11, 2007

Diálogos do amô #2

O baratão entra na sala, sambando pelo carpete. A mulézinha sobe no sofá, grita, esperneia, coraçãozinho batendo a mil:
- AAAAAAAAARRRGH! Uma barata! Mata! Mata! Mata!
Mulézinha se enfia no quarto, fecha a porta, coraçãozinho batendo a mil:
- Matou!? Matou!?
Cavaleiro de armadura reluzente diz:
- Matei!
- Matou mesmo!???
- Matei! Me alcança um chumaço de papel higiênico, por favor.
Minutos depois, morta a barata, descartada a carcaça sem vida da barata e dada a descarga, mulézinha, aliviada, diz a Cavaleiro de armadura reluzente:
- Cada vez que tu matas uma baratona dessas, tenho mais certeza de que tu és o amor da minha vida!
- É mesmo? - diz Cavaleiro de armadura reluzente com malícia no olhar.
- Mesmo, juro!
- Então vai chegar o dia em que vou vir pra você e dizer: "Amor, hoje foram DUZENTAS!"
- Hohohohohohohohohohohohohoho...
- Hohohohohohohohohohohohohohoh...

6 comentários:

claudia lyra disse...

Meu amor é fortalecido, também, cada vez que Marido mata uma barata. E, de uns tempos pra cá, quando ele expulsa as pererecas da sala. Ele é tão forte e viril!!!

Matias disse...

Eu precisava duma Cinderela pré-príncipe pra desovar os cadáveres das que eu mato.

belly disse...

Uau, que máximooooow!

(hihihis generalizados)

Alan disse...

hahahahaha...no meu caso trata-se de amor fraterno, pois sempre fazia isso para a minha irmã.

Helena disse...

Ah, adorei. Mon Amour, par contre, tadinho, tem poucas chances de me fazer o cavaleiro da armadura reluzendo que não tem inseto nesse pais.

RoMartinucci disse...

hahahhahhahaa só vc Livia....
eu tenho DESESPERO de barata! qq um que matar uma p/mim é meu herói! hahahahhahhaah
beijos!
to indo encontrar nosso amigo. ;-)