quarta-feira, março 14, 2007

Prenda a minha



Gaúcho é fogo. Ontem, numa cerimônia dessas com presença de governadora, prefeito, chefe da Casa Civil, presidente da Assembléia Legislativa e assemelhados, toca o Hino Nacional, cantado por maviosa soprano. Todos em silêncio respeitoso, ouvindo a bela voz da cantora.

Chega a hora do Hino do Rio Grande do Sul e todos eles, sem exceção, acompanham a letra e, emocionadíssimos, cantam: "...Sirvam as nossas façanhas/de modelo a toda a terra."

E depois diz que gaúcho não é bairrista. Fofos. ;-)

9 comentários:

AnaBetta disse...

sim. gaúcho é tudo bairrista mas só sabe cantar essa parte do hino do rio grande do sul, minha filha.
vai por mim... ;)

Alan disse...

Estou até imaginando a cena...gaúcho é bairrista sim!
Beijos.

Helena disse...

Alguém tem CORAGEM de dir que gaucho não é bairrista? Tsc, tsc, tsc. Meus amigos gauchos expatriados no Rio treinam o sotaque pra nunca perder a identidade gauchesca. Entre outras historias ufanicas. Soh pernambucano pra rivalizar...

sara disse...

Eu ainda acho que gaúcho é o mais bairrista de todo o Brasil.
Mesmo aqui me conservo mais paulista do que nunca. (olha o bairrismo aí..ahaha)
Bjs

Adelaide disse...

Ana: eu sei cantar todo o Hino do RS. O Hino do Brasil eu me enrolo logo depois do "Ouviram do Ipiranga" e já começo no lá lá lá.

Sei as datas da revolução Farroupila. Sei da independência do Brasil e da Proclamação da República...agora se me perguntarem qual o dia do "fico" eu já não sei.

Devo saber citar uns 90% dos mais de 400 municípios gaúchos. Se me perguntares Rondônia /Roraima/ Porto Velho / Boa Vista...terei de pensar. Possivelmente, chutar.

Eu já avisei que canto "Lavoura da Amizade" e abdiquei de "Parabéns a você"

Eu tomo chimarrão. Mesmo se estiver em Copacabana. Aliás, o segundo melhor estado do Brasil, Santa Catarina, deveria exigir que ao invés de apelidarem Camboriú de Copacabana do sul, chamassem Copacabana de Camboriú do norte.

E por último, entre Ana Terra e Bibiana Cambará, falo mais rápido toda árvore genealógica de O Tempo e o Vento que lembro da "taboada do nove".

Não. Não sou bairrista.

Lívia disse...

Hohohoho. Magina, delaids'. ;-)

RoMartinucci disse...

imagina, quase nada bairrista....

Kamovh disse...

então, qual o problema em ser bairrista?

Lívia disse...

Kamovh: rigorosamente nenhum problema. Só achei um fato curioso e diverso, pois não costumo ver esse tipo de manifestação em outros estados. Acho até esse apego pela história e tradições bastante valoroso, visto que o conhecimento da nossa história é o primeiro passo para entender melhor o presente. Um abraço.