sexta-feira, fevereiro 16, 2007

O Beijo da Mulher-Aranha


Levei gato por lebre


No Carnaval de 1983 eu queria ser a Mulher-Aranha. Do beijo dela, só ouviria falar um ano depois, mas antes eu adorava a idéia de escalar por paredes, de voar pendurada em teias - deve ter sido naquele ano que eu tive um sonho inesquecível, que durante anos achei que tinha sido verdade (e quem disse que não era?), de ter a nítida certeza de ter pulado pela janela do meu quarto, no primeiro andar, e não ter me machucado.
Pois era o bailinho de carnaval do Jardim da Infância (o que faz os passantes verem em plena tarde de quinta ou sexta, crianças andando pela rua vestidas de vampiro, power ranger, superhomem, pirata, odalisca) e eu, claro, estava excitadíssima com a possibilidade de encarnar a mulher aranha - ainda mais por que tinha um menino de olhos azuis por quem eu era apaixonadíssima e que ia se vestir como aquele bárbaro dos Herculóides e eu queria que ele me visse toda bela. Pois batia o pé no chão, pedindo ao meu pai a fantasia da heroína que ele me prometera conseguir.
Não conseguiu. Mas eu só soube disso na hora de me vestir, quando o que ele me entregou nas mãos, na verdade, foi a fantasia do HOMEM-Aranha, pensando lá com seus botões que "deve ser tudo a mesma coisa".
E, que remédio, fui eu vestida de Homem-Aranha, com a cara mascarada, numa pueril ausência de quadris e peitos, embirrada. Tentei ir brincar com as meninas, de boneca, passa anel, pular elástico, mas era rechaçada pelas coleguinhas, que diziam não brincar com meninos. "Mas eu sou a MULHER-aranha! a Mulher-Aranha!" E ninguém me acreditava.


No ano seguinte fui de bailarina e passei glitter e batonzinho. Indefinição sexual, nunca mais. Hoho.

2 comentários:

Júlia disse...

É, Lívia, a "Realidade" não tem poesia, nem o menor senso de humor. O que prevalece é a tacanhice,os interesses pessoais, mesquinhos - e burros (cafonas também) - dos "donos do pedaço". Se quisermos um mundo em que nossos desejos e fantasias se manifestem, temos que inventá-lo.

bjos e um ótimo fim de semana!

Joelma disse...

Ai, eu tenho vontade de te afofar quando tu conta essas historinhas lindas que só tu sabe contar. Chuif chuif de lindeza.