sexta-feira, maio 11, 2007

Apocalipse Now

"in nomine patriis et filiis et spiritu sancti, amen"

A bela chapuletada que o 'Estado Laico' do Lula deu no Santo Padre, mais que aguçar de contrariedade seus brilhantes olhinhos, mostrou que o 'Papa de Transição' não veio a passeio: o negócio da Santa Madre Igreja na América Latina, agora mais às claras, não é apenas arrebanhar fiéis para o seu casto seio, mas alinhavar acordos efetivos de casamento entre Estado e Igreja. Neste caso, é Lula o presidente, não mais proletário como antigamente, mas e se fora Alckmin o eleito do povo? Não entendo nadinha de leis e etc, mas a garantia de um Estado Laico é uma coisa tão irrevogável como a primeira ou segunda emendas da Constituição dos EUA, por exemplo?

Felizes somos nós, brasileiros, no entanto. Na América Central, não é sequer preciso que o Vaticano apresente acordos que lhe favoreçam. O chefe do programa de AIDS em El Salvador, Rodrigo Simán, é declaradamente membro da Opus Dei.

O temor (meu) é de que a 'transição' que marca a natureza da soberania deste nosso Papa seja dessa situaçãozinha marromenos para outra em que a Igreja Católica volte a reinar nesta nova Idade Média na qual o mundo, nem tão aos poucos, está entrando.

8 comentários:

fabiola disse...

acho que essa volta a idade média aparece na frouxidão dos encontros: nada de conversas sérias e contundentes! Trocas de presentes, gentilezas e nada de discutir a legalização do aborto e outras coisitas mais! O elogio estúpido ao casamento tradicional!!! O horror, o horror, o horror!
Agora, tenho certeza que, se fosse o Alckimin viraria reunião da opus dei!

Fabíola
ps- adorei o blog

AnaBetta disse...

eu continuo tendo medo. mas vivendo... :P

Prensada disse...

Tudo é muito relativo...
a Igreja católica na Europa e nos EUA é muito diferente que na América Latina. Tem posições mais independentes.
Não sei porque tanta polêmica com esses dogmas seculares.
A Igreja escora-se nesses pilares, senão não seria igreja mas uma emenda. É como se vc quisesse tirar uma vírgula do Alcorão.
Experimente fazer isso prá ver a confusão ! E assim por diante com todas as religiões do Oriente.

Anônimo disse...

Por mais que a liberação do aborto seja já um caso de saúde pública no Brasil é contundente interromper a vida sem dar a mínima chance de defesa.
Antes dessa falsa liberdade fico com a educação a conscientização e mecanismo de esterlização como política eficaz.
E sobre casamento tradicional? Não acredito em nada que desaprove o amor.
Decididamente o papa não é pop...rs.

Lívia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lívia disse...

Anônimo,
eu concordo com você em parte: assim como investir em educação previne boa parte do caos que impera, planejamento familiar, consciência do corpo e MUITA educação são imprenscindíveis para conter a gravidez indesejada e algo muito, mais muito mais desejável que o trauma individual do aborto.
Mas, mesmo assim, sou a favor da discrimalização dessa prática. Aborto não é método anticoncepcional. É traumático para a mulher, e certamente não é algo que ela vá adotar como método anticoncepcional. Acho, no entanto, que ela tem de ter o arbítrio para escolher fazer ou não, inclusive se escolher ser influenciada por sua religião ou sua ausência de religião.

Marcelo Rayel disse...

Cara Lívia,

Independente de gostar ou não do chefe-de-estado, o que não é o caso agora, salve Lula! O "Estado Laico", que o Brasil verdadeiramente é, serve para gente desavisada se colocar em seu devido lugar.

O povo aqui de casa é expert em Inquisião. Com esse sumo-pontífice, falta pouco. Naquela toada de seu passado lhe condena seria o caso do atual santos padre enfiar a viola no saco...

Há de se lembrar que a guerra santa bem foi obra da primeira e única igreja (leia-se "cruzadas").

Sempre houve um povo que estava quieto, na sua. Antes foram os mulçumanos e o que diríamos dos judeus após a diáspora? Dois dedinhos da história dos judeus e logo se vê que se eles tivessem só comido o pão-que-o-diabo-amassou na mão da santa madre igreja eles estariam felizes da vida.

Dê vacilo para o atual sumo-pontífice e veja o que acontece?

Helena disse...

eu fiquei de cara com o papa e essa tentativa de acordo. Espero mesmo que a laicidade do estado seja irrevogavel.