domingo, abril 29, 2007

A cafonalha sem inspiração da noite, porém cheia de spleen

O avião pousou, o sol subiu no céu, o sono perdurou por mais tempo nessa manhã, o abraço foi mais longo, o dia foi mais quente.
A noite foi de risos, de cores, de bebidas e comidas, e houve amizade na atmosfera, o gato arisco porém curioso, as gentes unidas e eu me sentindo unida com elas.
Veio um ano a mais no tempo relativo, veio a soma dos anos anteriores, mais a virtualidade dos vindouros, que é todos os fatos somados, os átomos dispersos, os aromas intuídos, a corda bamba da definição de qualquer coisa. Mas os cabos de aço da ponte pênsil são feitos de moléculas de amor, elemento que, quando reunido e comprimido, torna-se o mais indestrutível dos materiais.
Conhecido pelos mais competentes engenheiros da Terra, e recurso natural inesgotável. É só enxergá-lo no outro e senti-lo.
O tempo. A vida.

3 comentários:

AnaBetta disse...

coisa boa fazer parte disso tudo. :)

Alan disse...

Parabéns :-))
Pra onde você foi?
Beijos.

Joelma disse...

e eu estava lá. :*****