domingo, fevereiro 25, 2007

Impulso e contra-impulso

Nos dois artigos publicados na Folha de São Paulo, de Renato Janine Ribeiro e Andrea Lombardi, que sim, ainda mantém aceso o debate sobre a morte do menino João Hélio, aquela de quem ninguém se lembra mais porque com o fim do Carnaval e o real começo do ano, todo mundo já expeliu sua parcela de gozo e instinto assassino e agora precisa trabalhar e viver a vida, não é mesmo?

P.S.: Quando mesmo que aconteceram os ataques do PCC em SP e outros estados?

8 comentários:

Alan disse...

Oi Lívia, faz tempo que não deixo comentário, mas sempre dou uma olhada no seu blog.
Hoje queria te parabenizar pelo novo design no blog do Renato...e do seu também...aliás, adorei o seu, principalmente porque passo pela estação Pasteur todos os dias, aliás, acabei de passar por lá.
Um beijo e boa semana.

Helena disse...

Oi Livia. é incrivel mesmo como as paginas são rapidamente viradas! De um lado, imagino que esquecer seja uma arma de sobrevivência. Mas que a gente consiga aliviar a dor no coração que causam essas tragédias, mas nunca a dor intelectual, que busca uma saida.
(a Atriz de La Môme é a Marion Cotillard, uma menina super nova e linda, que estah praticamente irreconhecivel no filme).

Alan disse...

Como um amante de Paris, assim como você, acho os seus designs muito bons!! E lógico que adoraria sua ajuda para dar um novo visual ao meu blog...me diga o que eu tenho que fazer e seguirei tim tim por tim tim os seus passos.
Um beijo.

Alan disse...

Ahhh, fui assistir "La Môme" esse final de semana. Já está passando aí no Brasil? Pode ir que você vai gostar, mas é suupppeerr triste! Que vidinha difícil teve essa Edith Piaf...

Lívia disse...

Pois é, Alan, estou doida pra ver "La Môme" quando ela estrear por aqui. :-)

belly disse...

Dona Edite, eu não lembro disso.
Em contrapartida, lembro que o massacre do Carandiru, a coisa brasileira de que tive notícia que mais me impressionou - negativamente - teve lugar em dois de outubro de 1992.

Será que agora a senhora pode fazer post novo? Agradeço.

Gustavo disse...

O ataque do PCC em SP aconteceu no Dia das Mães - basta lembrar dos milhares de presos que deixaram as cadeias em virtude da data.

Aconteceria outro em dezembro (o indulto de Natal), mas parece que conseguiram evitar a tempo.

O ano aqui só começa depois do carnaval. "Na quarta-feira ninguém trabalha, é hora de enterrar o que sobrou do zé batalha"...

Guto disse...

O Brasil não é um país sério.