segunda-feira, maio 24, 2004

Ontem o céu resolveu abrir por cerca de duas horas e nos banhou, eu e a polaquinha, com a luz da tarde bem na hora em que tínhamos resolvido sair para pegar um filme. Não fosse por isso, dias e dias sem sol, de branquidão celeste ininterrupta, chuva, frio, apatia, chuva, frio, apatia. Mas o almoço foi bem sucedido, o lemon puding é mesmo uma delícia e aquela casa, com aquelas moças e aquela gata cinza de olhos amarelos e peluda como o quê, é um convite a viver a preguiça de domingo com toques de delícia. E eu fico empurrando a vida com a barriga (que vai considerável, obrigada) e me amarro com essa versão cheia de incompreensões... é terrível quando além de traduzir você precisa melhorar o texto ou transformá-lo em algo compreensível.
Estou cheia de saudades... dos meus amigos de longe, já da polaquinha, saudade até do que está somente em perspectiva. Porque eu sou nostálgica e saudosa e não me livro da minha natureza.
O dia de hoje é um convite ao sono, e se eu fosse Garfield, de fato dormiria. E sim, esse post é uma prova de que estou saudosa até daqui.
Tartelettes.
Café.
Você(s).

Nenhum comentário: